COBRAC - Congresso de Cadastro Multifinalitário e Gestão Territorial, COBRAC 2018

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DA INSCRIÇÃO IMOBILIÁRIA PARA OS MUNICÍPIOS BRASILEIROS VISANDO O CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO URBANO
Vinícius Barbosa Henrique, Angela Souza Lima Barreto, Marlene Salete Uberti

Última alteração: 2018-09-25

Resumo


O principal objetivo do presente trabalho é analisar as codificações apropriada para atender tanto os usuários do Sistema de Informação Geográfica - SIG como aos usuários e gestores municipais. Nesse projeto foram utilizadas cinco metodologias diferentes para determinar a inscrição imobiliária que são comumente empregadas em alguns países da América Latina, a saber: Sistema de Geolocalização Absoluta, Sistema de Árvore, Sistema de Identificação de Quadrículas, Centroide Visual ou Paracentroide e Direções e Ruas. O Sistema de Árvore é muito semelhante a metodologia utilizada no cadastro urbano no Brasil. O Sistema de Geolocalização Absoluta utiliza um geocódigo. O Sistema de Identificação de Quadrícula relaciona blocos pequenos de coordenadas emparelhados. O Centroide Visual ou Paracentroide utiliza uma coordenada local podendo corromper o princípio da unicidade. A metodologia de Direções e Ruas utiliza a rua para codificação e nem sempre as unidades imobiliárias possuem um vínculo (testada) com a rua. Visto todos os pros e contras, a definição da metodologia mais indicada é o Sistema de Árvore. O Sistema de Árvore é o que mais se aproxima do ideal, pois atende tanto os gestores das prefeituras, como os usuários de ferramentas SIG.


Palavras-chave


Inscrição Imobiliária; Codificação; Cadastro Técnico Multifinalitário Urbano; Cadastro Técnico Multifinalitário no Brasil; Cadastro Urbano aliado a um SIG

Texto completo: PDF