Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, COBRAC 2018

Tamanho da fonte: 
USO DO ALGORITMO ALPHA SHAPE NA EXTRAÇÃO DE CONTORNOS DE EDIFICAÇÕES A PARTIR DE DADOS LiDAR
Renato Cesar Dos Santos, Mauricio Galo, André Caceres Carrilho, Guilherme Gomes Pessoa

Última alteração: 2018-09-25

Resumo


A extração automática ou semiautomática de contornos de edificações sobre dados LiDAR tem sido um tema recorrente. São diversas as alternativas que podem ser consideradas e o algoritmo α-shape é uma delas. Considerando um conjunto de pontos no espaço 2D, a ideia deste algoritmo consiste em extrair o contorno do objeto por meio de um critério pré-estabelecido, o qual depende de um parâmetro α definido a priori. A limitação refere-se à determinação do parâmetro α, o qual está diretamente relacionado com a densidade dos pontos e o nível de detalhamento do contorno da edificação. Para alguns autores o espaçamento médio dos pontos (savg) juntamente com um fator multiplicativo (k), onde α = k*savg é uma boa estimativa para o parâmetro α. No entanto, não existe um consenso sobre os melhores valores de k a serem considerados. Diante disso, esse trabalho realizou um estudo comparativo usando três diferentes fatores multiplicativos para k (1,25; 1,5; e 2,0). Para realizar os experimentos, uma nuvem de pontos LiDAR obtida sobre a cidade de Vaihingen/Alemanha e com densidade média de 6,7 pts/m2 foi selecionada. As análises qualitativa e quantitativa indicaram que o uso de α = 2*savg produziu os melhores resultados, apresentado completeza e nível de acerto em torno de 92% e 98,5%, respectivamente, e acurácia posicional de 0,39 m.


Palavras-chave


Extração de contornos de edificações; dados LiDAR; algoritmo α-shape

Texto completo: PDF